• saeqaufsc

COMO ALIMENTAR 10 BILHÕES DE PESSOAS EM 2050?

Atualizado: Ago 29

Primeiro temos que começar com uma pergunta simples. Você sabe o que é “fome”?


Segundo o dicionário: fome é carência alimentar, subnutrição.


Sabemos que a explosão demográfica ameaça aumentar a fome no mundo. Segundo a ONU, a população mundial em 2050 chegará a aproximadamente 10 bilhões de pessoas. A produção de alimentos teria que aumentar cerca de 70% para garantir alimentos a todos. E então nos perguntamos, se atualmente já há milhões de pessoas no mundo passando fome, o que poderá ser feito para combater esse problema que só tende a crescer?


É aqui que entra a engenharia!

https://viacarreira.com/wp-content/uploads/2019/06/engenharia-de-alimentos.jpg


O ramo da engenharia, por ser um universo de possibilidades, pode atuar fortemente nessa problemática. Focando um pouco mais na Engenharia de Alimentos e na Engenharia Química, vamos analisar possíveis formas de combater essa situação que está por vir.


É impossível pensar na fome sem pensar no desperdício dos alimentos, e não podemos esquecer que junto com o gasto do próprio alimento, vem o desperdício dos recursos utilizados para sua produção, como água, terra, energia. Engenheiros podem e devem atuar no estudo de melhores formas de armazenamento para os produtos e também trabalhar no aumento do prazo de validade, por exemplo.Outro ponto que deve ser muito bem estudado é a criação de novos produtos. O desenvolvimento de alimentos inovadores com valores nutricionais mais altos com certeza ajudariam no combate à fome.


Precisamos pensar em uma transformação nos sistemas alimentares para reduzir os custos de alimentos nutritivos e aumentar a acessibilidade a dietas saudáveis. Não é um trabalho que podemos fazer sozinhos, claro. Políticas públicas precisam incentivar a redução dos fatores que aumentam os custos na produção, armazenamento, transporte, distribuição e comercialização de alimentos.


A área da BIOQUÍMICA




https://www.mgtnutri.com.br/wp-content/uploads/2017/07/bioquimica-de-alimentos.jpg


A engenharia bioquímica, área bem estudada dentro dos nossos cursos, possui um grande potencial de auxiliar na produção de novos alimentos, criar novos processos biológicos em escala industrial e na manipulação de biomoléculas essenciais para nutrição, como as proteínas.


Gostaria de trazer uma curiosidade para vocês. Você já ouviu falar em nutracêuticos?




https://institutoanapaulapujol.com.br/lands/wp-content/uploads/2019/12/11836741_1623715684539902_272283670495372856_n.jpg


Processos enzimáticos, que são reações catalisadas por enzimas, têm sido intensamente estudados visando a obtenção de produtos mais puros e processos ambientalmente mais amigáveis. Uma das aplicações da catálise enzimática é a síntese de nutracêuticos.


Agora explicando um pouco mais o que são os nutracêuticos. São extratos de alimentos altamente nutritivos que auxiliam o corpo em seus processos metabólicos porque atuam de forma biologicamente ativa. São considerados totalmente orgânicos e concentram nutrientes, vitaminas, proteínas e minerais. Eles são capazes de aumentar a sensação de bem-estar, fortalecem o sistema imunológico e previnem doenças.


Juntando todas essas informações podemos dizer que essa área merece uma atenção, né?


A subnutrição já é um problema atualmente, portanto nós engenheiros temos a missão de não deixar esse problema crescer com o aumento da população.



A fome é um obstáculo para a evolução


Sabemos que a fome traz complicações gravíssimas à saúde, como doenças, diminuição do rendimento físico e até a morte prematura. Os problemas são transmitidos de uma geração para outra, crianças nascidas de mães desnutridas já começam a vida com dificuldades.


O desenvolvimento físico e mental do indivíduo é prejudicado, a subnutrição e falta de alimentação retarda o crescimento infantil, deixa sequelas nas habilidades cognitivas e diminui o desempenho e a presença escolar.


Mas as consequências vão além disso, a fome afeta o desenvolvimento econômico de um país, sua estabilidade política e social, dificultando ainda mais os esforços dos Estados em reduzirem a pobreza.


É possível concluir que a fome não é um problema fácil de ser erradicado, requer a ação de várias partes diferentes. Por isso, nós engenheiros, que podemos atuar fortemente no combate a esse problema, temos que fazer nossa parte. Temos que pensar no próximo, nas gerações futuras, temos uma responsabilidade social. Cada passo, mesmo que pareça pequeno, é um avanço!


Quer aprender mais sobre as áreas nas quais Engenheiros de Alimentos e Engenheiros Químicos podem atuar? Venha para a SAEQA! Fique ligado para não perder as inscrições!


Texto escrito por Anna Clara Zesch.





Referências:

NAÇÕES UNIDAS, BRASIL. População mundial deve chegar a 9,7 bilhões de pessoas em 2050, diz relatório da ONU. Disponível em: <https://brasil.un.org/pt-br/83427-populacao-mundial-deve-chegar-97-bilhoes-de-pessoas-em-2050-diz-relatorio-da-onu>. Acesso em: 27 maio 2021.

IPGS. Nutracêuticos e Nutrição Esportiva. Disponível em: <https://www.ipgs.com.br/blog/interna/nutraceuticos-e-nutricao-esportiva>. Acesso em: 27 maio. 2021.


6 visualizações

Posts recentes

Ver tudo