• saeqaufsc

Sustentabilidade industrial: o impacto da Engenharia Química

Poucas pessoas sabem o papel da Engenharia Química na inovação sustentável das empresas. Leia o blog e entenda as consequências da atuação desse profissional na redução do aquecimento global e muito mais.



Aquecimento global, mudanças climáticas, desastres ambientais, doenças respiratórias, poluição do ar e águas, essas são apenas algumas consequências da indústria química no meio ambiente, as quais podem se tornar irreversíveis sem o avanço da sustentabilidade corporativa. Assim, em um planeta que segue o rumo de grandes impactos ambientais e superpopulação, a Engenharia Química possui uma ligação forte com o desenvolvimento sustentável.



Mas qual a função do Engenheiro(a) Químico(a)?

A Engenharia Química possui uma ampla área de atuação e visa implementar o processo transformador da matéria-prima em produto final. Por isso, ela é responsável pelo planejamento e controle do processo industrial, assim como pelo desenvolvimento de produtos que são visíveis no cotidiano de todos, como plásticos, baterias, alimentos, combustíveis, roupas, entre outros.


Para saber um pouco mais sobre a Origem da Engenharia Química, clique aqui.


Na indústria, o atual profissional de Engenharia Química deve mensurar tanto o custo econômico da produção quanto o custo ambiental, minimizando os impactos do processo no meio social e ambiental. Uma vez que, com a influência de tratados como o de Paris, remediar e controlar a emissão de poluentes não é o bastante, é responsabilidade desse engenheiro(a) restringir e suprimir o descarte de matérias prejudiciais ao ecossistema.


O que é o Acordo de Paris?

Em defesa do meio ambiente, evitando que o homem inviabilize a vida sobre a Terra no futuro, a sociedade internacional promoveu uma resposta para tratar dos gases que provocam o aquecimento global. Assim, no final de 2016, entrou em vigor o Acordo de Paris, firmado por 195 países, com o objetivo de reduzir a emissão de gases do efeito estufa, através da diminuição do desmatamento e do incentivo ao uso de tecnologias limpas e energias renováveis.

O protocolo tem como principal meta manter o aumento da temperatura do planeta muito abaixo de 2°C para, assim, evitar efeitos catastróficos no mundo. Desse modo, a Engenharia Química se faz necessária a fim de atingir esses objetivos, uma vez que possui um papel fundamental no estudo da interação do sistema industrial com o meio ambiente e desenvolvimento de processos mais “limpos”.


Como a Engenharia Química propicia a redução do aquecimento global?

A formação do Engenheiro Químico o encarrega da supervisão e responsabilidade sobre o processo produtivo, além do desenvolvimento de novos métodos de produção mais efetivos e menos prejudiciais ao meio ambiente. Com isso, a pesquisa por tecnologias mais amigáveis está virando a nova onda de inovação do mercado, a qual, com base na teoria do economista Joseph Schumpeter, é o próximo ciclo de progresso e expansão do homem, sinalizando para um capitalismo sustentável.

Diversos processos químicos afetam o ambiente e, consequentemente, acabam agravando o aquecimento global. Por isso, é fundamental a conscientização do graduado em Engenharia Química quanto a Ecologia Industrial — analogia do processo produtivo com um ecossistema, que reitera a importância das indústrias possuírem um ciclo produtivo fechado e sustentável, como a natureza.

Com isso, esse profissional tem o poder de alterar o processo produtivo e torná-lo mais limpo, concebendo um balanço de matéria e de energia praticamente fechado através do:

  • Emprego de tecnologias mais amigáveis ao meio ambiente, substituindo as convencionais;

  • Otimização de correntes de produção, com menos desperdício e resíduos;

  • Utilização de matérias primas e energia menos poluentes, com o reuso e geração de subprodutos;

  • Desenvolvimento de versões “verdes” dos produtos com a mesma funcionalidade e mais sustentáveis, como o etanol de 2a geração e o plástico verde;

  • Tratamento eficaz de todos efluentes.

Com base nesse fundamento, há a transformação do antigo processo produtivo linear em um sistema cíclico por meio do alicerce de tecnologias sustentáveis concomitante à contribuição do profissional de Engenharia Química para alterar a cadeia de produção.


Pesquisas que contribuem para a redução do aquecimento global

A geração de vapor é uma operação primordial nas indústrias, visto que a produção de calor é necessária em inúmeros processos e geralmente ocorre com a combustão de combustíveis fósseis em caldeiras. No entanto, essa queima gera poluentes na atmosfera, como gás carbônico (CO2), óxidos de nitrogênio (NOx) e monóxido de carbono (CO), que são prejudiciais ao meio ambiente e a sociedade.

Por essa razão, trata-se de um campo muito pesquisado pela Engenharia Química, com o desenvolvimento de técnicas como o controle rigoroso da proporção de ar/combustível utilizada, combustão em multi-estágios e uso de catalisadores para reduzir a geração dessas substâncias nocivas ao ambiente, além de usar tecnologias que permitem a captura e armazenamento desses gases.

Além disso, sistemas de compensação ambientais também podem ser realizados por meio da Engenharia Química, como a neutralização de carbono, que mensura as emissões de gases contribuintes para o efeito estufa no processo produtivo e calcula a dimensão proporcional em árvores a serem reflorestadas.

Outro âmbito que contribui para a economia sustentável é a química verde, que retrata a busca pela concepção de produtos químicos e processos que, com a mesma funcionalidade, almejam a atenuação ou eliminação do uso e da geração de substâncias prejudiciais ao meio ambiente. Dessa forma, a Engenharia Química realiza a simulação e modelagem de processos, estudando modelos cinéticos e otimizando operações unitárias para o desenvolvimento de produtos e sistemas mais ecológicos através dos avanços tecnológicos de diversas áreas, como na engenharia de polímeros, nos reatores de membranas e microrreatores assim como na melhoria da fotocatálise e na engenharia de tecidos.


Se quiser ficar por dentro dos Bastidores da Pesquisa no Departamento de Engenharia Química da UFSC, clique aqui.


Logo, a redução do aquecimento global e demais impactos ambientais através da sustentabilidade industrial ainda retém muitos desafios, principalmente com a conscientização popular da sua importância e ação por parte das empresas, porém possui um caminho promissor com o auxílio da Engenharia Química, que pesquisa por tecnologias mais amigáveis.

E aí, descobriu sobre o papel da Engenharia Química na sustentabilidade industrial? Fique por dentro das redes sociais da SAEQA para acompanhar todas as novidades e não perder a inscrição do evento, que certamente abordará sobre a sustentabilidade no universo de possibilidades dos engenheiros.


Texto escrito por Bruno Floriani.





Referências:

A.D. Martini. Conscientização para a minimização dos danos causados ao meio ambiente em consequência da poluição gerada pelas indústrias químicas. Revista de Graduação em Engenharia Química (ISSN 1516-5469), Nº 7.

B.F. Gianneti, C.M.V.B. Almeida. A indústria química no contexto da ecologia industrial. Revista Brasileira de Engenharia Química, ANO VI No. 12 Jul-Dez 2003.

MILANEZ, Artur Yabe et al. O Acordo de Paris e a transição para o setor de transportes de baixo carbono: o papel da Plataforma para o Biofuturo. BNDES Setorial, Rio de Janeiro, n. 45 , p. [285]-340, mar. 2017.


257 visualizações